ARCA na Assembleia Geral da Federação Europeia de Associações de jornalistas de ciência

A Associação de Repórteres de Ciência e Ambiente de Portugal (ARCA) participou, no dia 11 de Março, na Assembleia Geral da Federação Europeia de Associações de Jornalistas de Ciência (EUSJA), em Leiden, na Holanda. Eis uma síntese do que ali foi discutido e decidido.

A EUSJA, criada em 1971, congrega as principais associações de jornalistas de ciência de 25 países europeus. A ARCA é membro da EUSJA desde 2006. As assembleias gerais são a melhor oportunidade de não só de participar das decisões estratégicas da EUSJA, como de mantter um contacto directo com representantes das associações congéneres da ARCA. Esta foi a terceira assembleia de que participamos.
O principal benefício da EUSJA para os sócios da ARCA tem sido a possibilidade de participar de visitas de estudo organizadas ou pela federação ou pelas outras associações.

A ASSEMBLEIA GERAL – PRINCIPAIS TÓPICOS

Viagens de estudo

 

Há uma série de viagens de estudo preparadas, para a Alemanha, Roménia, Grécia, Suíça, Itália, Estónia, Polónia e Finlândia. Algumas são ainda ideias a desenvolver, outras estão mais adiantadas. A ARCA comunicará aos sócios quando houver mais detalhes. Nestas viagens, normalmente o país anfitrião oferece a estadia e alimentação, ficando a viagem por conta do jornalista. A EUSJA, no entanto, pode comparticipar em 50% do custo da viagem.

Muitos delegados queixaram-se de que as regras destas viagens não têm sido claramente comunicadas, por isso a EUSJA vai preparar um guião de como as organizar e com as normas de acesso, comparticipação, etc.

Vários delegados – incluindo nós, da ARCA – entendem também que as viagens de estudo não cumprem uma das funções da EUSJA, a de promover o jornalismo científico, tratando-se muitas vezes de operações de relações públicas das instituições que são visitadas – e que na maior parte das vezes são quem organiza as viagens.

Prémio europeu de jornalismo científico

 

A ideia tinha sido lançada na última assembleia, há um ano. Desde então, o delegado da associação suíça fez um levantamento e concluiu que apenas oito países têm prémios nacionais. Lançar um a nível europeu implicaria criar mais prémios locais, dos quais pudesse sair um finalista de cada país. Outras potenciais dificuldades são a questão da língua, de como avaliar diferentes meios, de como comparar culturas diferentes, dos patrocinadores. A ideia foi abandonada, em favor de outra – bolsas para jornalismo de investigação.

Bolsas para jornalismo de investigação

 

A EUSJA vai estudar a possibilidade de se criar uma bolsa para financiar reportagens investigativas. A ideia é a de um sistema no qual jornalistas candidatam-se a verbas para desenvolver um projecto de jornalismo de investigação. A EUSJA tentaria buscar o dinheiro junto de patrocinadores. A proposta será agora detalhada por três delegados – da Suíça, da Holanda e da ARCA – e apresentada até Maio à direcção da EUSJA.

Projecto europeus

A EUSJA vai elaborar, este ano, uma estratégia de como aproveitar melhor projectos e fundos europeus. As principais vantagens são obter fundos e aumentar a visibilidade da EUSJA. Mas em muitos casos o que os projectos envolvem é essencialmente a disseminação de determinados resultados – ou seja, relações públicas –, o que não cabe na missão da EUSJA.

Nalguns projectos nos quais a EUSJA já participou, membros da direcção desempenharam funções remuneradas. Na assembleia, houve alguma discussão sobre este ponto, tendo-se sugerido que tais situações devem ser previamente comunicadas a todos, abrindo-se a possibilidade a que outros jornalistas possam manifestar interesse em fazer tais trabalhos.

ESOF 2012

A EUSJA terá um stand no ESOF (Euroscience Open Forum) 2012 – uma reunião semelhante à da AAAS nos Estados Unidos, e que este ano decorre em Dublin, de 12 a 15 de Julho. A direcção pediu às várias associações para estarem presentes no stand da EUSJA ou enviarem materiais para serem distribuídos. A EUSJA vai também realizar, durante o ESOF, um debate sobre os desafios da energia, sob o título “What will power Europe’s future”, dia 15 de Julho.

Outras iniciativas

A EUSJA está a dialogar com editoras científicas para ver se é possível garantir aos associados o acesso gratuito a literatura científica. Até agora, porém, não tem obtido sucesso.
Estão em estudo formas para maximizar o uso das redes sociais.

Eleições para a direcção

Apesar de apelos para uma renovação entre os dirigentes da EUSJA, com dois candidatos “novos” a concorrer – da Itália e Grécia – acabou-se por eleger uma direcção de continuidade:
Presidente: Barbara Drillsma (Reino Unido)
Vice-presidente: Viola Egikova (Rússia)
Secretário honorário: Wolfgang Goede (Alemanha)
Tesoureiro: Elmar Veerman (Holanda).

Bárbara e Viola já estavam na direcção e foram agora eleitos para novas posições. Elmar também já integrava a direcção e mantém-se no cargo, pois a eleição para tesoureiro é desfasada da dos demais membros.
Apesar de não terem sido eleitos, Fabio Turone (Itália) e Menelaus Sotiriou (Grécia) foram co-optados como membros adjuntos da direcção, de modo a garantir sangue novo.

Outros assuntos internos

Várias associações queixaram-se da falta de comunicação entre a direcção e os demais delegados. Praticamente só na assembleia anual é que as associações sabem o que a direcção fez durante o ano. Ficou acordado que a direcção deverá comunicar formalmente com mais frequência com as associações, enviando, por exemplo, a agenda e a acta das suas reuniões e comunicando o desenvolvimento de quaisquer iniciativas.

A apresentação das contas de 2011 foi muito criticada, por ser confusa, pouco transparente e assentar em pressupostos contabilísticos pouco ortodoxos. Emendadas durante a própria assembleia, as contas acabaram por ser aprovadas, com menção de que deverão seguir um modelo mais claro. Para auditar as contas de 2012, voluntarizaram-se a ARCA e a associação sueca.

A EUSJA vai fazer uma nova tentativa para trazer de volta a associação francesa, que decidiu abandonar a federação, depois de vários anos sem pagar quotas. A associação francesa alega que, ao apostar sobretudo nas visitas de estudo, a EUSJA tem funcionado apenas como uma agência de relações públicas.

Próxima assembleia

Será em Praga, em Março de 2013. Houve mais três ofertas para receber a assembleia de 2013 – Estrasburgo, Barcelona e Lisboa. A ARCA propôs Lisboa para 2013 ou 2014.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s